Laboratório Regional de Saúde Pública Dra. Laura Ayres
06 Fev'17 | Faro

Laboratório Regional de Saúde Pública Dra. Laura Ayres

Também o Laboratório Regional de Saúde Pública do Algarve Dra. Laura Ayres fez parte do primeiro “Roteiro Farmacêutico” à região do Algarve, no dia 6 de fevereiro. Inaugurada em maio de 2009, esta unidade orgânica da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve desempenha um papel de extrema relevância no âmbito da Saúde Pública e constitui um excelente exemplo da intervenção dos farmacêuticos também neste domínio.

À chegada ao edifício que acolhe o Laboratório e os Serviços Farmacêuticos da ARSA, a bastonária tinha à sua espera o presidente e o vogal do Conselho Diretivo da ARS Algarve, João Moura Reis e Tiago Botelho, respetivamente, bem como as farmacêuticas responsáveis pelos dois serviços.

A visita iniciou-se pelas instalações dos Serviços Farmacêuticos, sob a responsabilidade da farmacêutica Ana Silva, sendo neste âmbito descritas as competências da administração regional no aprovisionamento e abastecimento dos três Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) do Algarve (Barlavento, Central e Sotavento).

João Moura Reis referiu-se nesta fase ao projeto de cuidados domiciliários em curso na ARS Algarve, único entre as restantes administrações regionais e que mereceu os maiores elogios da bastonária, acrescentando apenas as vantagens da integração dos profissionais farmacêuticos nestas equipas multidisciplinares.

Ao percorrer o armazém dos Serviços Farmacêuticos, a bastonária foi contactando com a equipa de três farmacêuticos, dois dos quais recentemente admitidos. Ana Paula Martins salientou as funções destes colegas no Serviço Nacional de Saúde e impulsionou a sua participação em atividades e projetos que potenciem a interdisciplinaridade e a interligação de entre os diferentes níveis de prestação de cuidados de saúde.

Após esta passagem pelos Serviços Farmacêuticos da ARS, a bastonária foi conhecer as instalações do Laboratório Regional de Saúde Pública que recebeu o nome de uma das notáveis especialistas nas áreas da Epidemiologia e Saúde Pública, a médica Laura Ayres.

As farmacêuticas Aida Fernandes especialista em Análises Clínicas, e Jaqueline Dionísio, assumem a responsabilidade técnica das análises realizadas nesta unidade, integrando uma equipa de 18 colaboradores distribuída por três grandes serviços – Análises Clínicas, Microbiologia e Físico-Química.

Através dos 16 postos de colheita espalhados pelos ACES Central e do Sotavento algarvio, o laboratório disponibiliza aos utentes dos cuidados de saúde primários um serviço de referência no âmbito das análises clínicas.

Em articulação com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, o Laboratório está também envolvido em programas de Saúde Pública, designadamente no âmbito dos testes laboratoriais para deteção da tuberculose ou de surtos de legionella, por exemplo. Quando recebeu a visita da bastonária, a ARS tinha acabado de lançar o concurso púbico de aquisição de testes para iniciar um projeto de rastreio do cancro do cólon e reto na comunidade, numa iniciativa que valoriza ainda mais o papel deste serviço de referência a nível regional e nacional.

As competências do laboratório não se esgotam, contudo, no domínio das análises clínicas, sendo também de enorme relevância o seu papel na monitorização da qualidade das águas – de consumo, dos estabelecimentos hoteleiros, piscinas ou parques aquáticos – e de alimentos, por exemplo, das cantinas escolares.

Num serviço sob a dependência do Instituto Português do Sangue e Transplantação, procede-se ainda às análises, processamento, tratamento e armazenamento do sague recolhido na região do Algarve.

No final da visita, a bastonária saudou os responsáveis da ARSA e do Laboratório quer pelas excelentes condições proporcionadas aos profissionais, quer pelo serviço de excelência que é prestado a todos os portugueses. Tal como reconheceu o presidente da ARS, o Laboratório está neste momento subaproveitado, pelo que a bastonária espera que, a breve prazo, a população algarvia e o sistema de saúde, em geral, possam beneficiar dos seus serviços, na sua plenitude.

Ana Paula Martins considera que o País deve acarinhar estes serviços na área vigilância sanitária, bem como o trabalho dos profissionais que diariamente zelam pela segurança de todos os cidadãos. 

Outros Locais Visitados